"Só comíamos o gelo à nossa volta", diz sobrevivente de avalancha

Jovem de 22 anos disse que se sentia presa numa caixa coberta por gelo

"Chamo-me Giorgia e estou viva". Foram estas as primeiras palavras que uma jovem de 22 anos soterrada sob os escombros do hotel Rigopiano, na Itália, disse aos socorristas que a iam salvar. Giorgia Galassi estava no hotel com o namorado, Vincenzo Forti, de 25 anos, quando se deu a avalancha que destruiu o hotel em Pescara.

A jovem contou ao jornal Corriere dela Sera que, sob as toneladas de neve, perdeu a noção do tempo e que acredita ter ficado soterrada durante cerca de dois dias. Na verdade, Giorgia passou 58 horas nos escombros do hotel, num quarto às escuras com várias pessoas - incluindo uma criança. Foi resgatada na sexta-feira.

"Eu estava convencida que tinha chegado o golpe final. Tinha medo e insónias", contou Giorgia. "Não havia comida. A única coisa que comíamos era o gelo que estava à nossa volta. Pudemos beber muito [gelo] e isso deu-nos força".

A estudante universitária explicou que estava a beber chá à espera que alguém explicasse como os hóspedes iriam sair do hotel. De repente, "tudo se desfez e eu não entendi nada", continua.

Um sobrevivente da avalancha já tinha avançado na semana passada que todos os hóspedes estavam preparados para sair do hotel e aguardavam apenas a passagem do limpa-neves quando se deu a avalanche, por volta das 17:40 de quarta-feira.

"Não ouvíamos nenhum som. As nossas vozes ecoavam. Tive a sensação de estar presa dentro de um caixa coberta por neve", contou Giorgia.

Ao seu lado no buraco escuro, estavam, além do namorado, uma jovem que procurava o namorado, um homem que estava gravemente ferido e uma mulher com o filho de oito anos que procurava pela filha.

Após a avalancha, os socorristas cavaram mais de 24 horas perante um silêncio de morte antes de se aperceberem dos primeiros sobreviventes.

Giorgia escreveu uma publicação no Facebook em que agradece a todas as pessoas que se preocuparam com ela e pensaram nela. "Para mim, é como se tivesse renascido hoje", escreveu a jovem. "Obrigada a todos".

Até ao momento, nove sobreviventes, incluindo quatro crianças, foram retirados dos escombros do hotel Rigopiano em Abruzzo, que ficou soterrado completamente após o desprendimento de neve de uma montanha.

As equipas de resgate encontraram sete pessoas sem vida e para já não há qualquer sinal dos mais de 20 adultos ainda desaparecidos.

"Nós temos esperança. Mesmo sem há sinais de vida, podemos cavar através de uma parede e de repente haver contacto, que foi o que aconteceu com os outros sobreviventes," disse à agência France Presse Luca Cari, porta-voz dos bombeiros, durante o fim de semana.

No entanto, ninguém foi retirado com vida dos escombros nas últimas 24 horas e as condições no local estão a deteriorar-se, com a neve a transformar-se em gelo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG