UE prolonga por um ano sanções contra Damasco por repressão de civis

A lista das sanções inclui agora 240 pessoas e 67 entidades

A União Europeia (UE) decidiu hoje prolongar por um ano, até 01 de junho de 2018, as sanções contra o regime da Síria e os seus apoiantes devido à repressão exercida contra os civis.

Para além de ter decidido prolongar as sanções, o Conselho da UE acrescentou à lista dos alvos de medidas restritivas três ministros do Governo de Damasco e atualizou informação sobre outras pessoas a entidades.

A lista das sanções inclui agora 240 pessoas e 67 entidades a quem a UE impôs congelamento de bens e proibiu de entrar no espaço comunitário, por repressão violenta contra a população civil.

As sanções abrangem o petróleo, restrições em alguns investimentos, o congelamento de bens do banco central sírio na UE e restrições à exportação de equipamento e tecnologia que possam ser usados contra os civis e que possam monitorizar ou intercetar comunicações telefónicas ou feitas através da Internet.

Exclusivos