EUA manifestam apoio a Israel e condenam "atividades nefastas" do Irão

Os norte-americanos dizem estar "vivamente preocupados pela escalada de violência na fronteira de Israel"

Os EUA manifestaram este sábado o seu apoio a Israel na sequência dos ataques do exército israelita na Síria contra alvos militares definidos como sírios, mas também iranianos.

"Os Estados Unidos estão vivamente preocupados pela escalada de violência na fronteira de Israel e apoiam firmemente o direito soberano de Israel de se defender", lê-se num comunicado do Departamento de Estado, que também denuncia as "atividades nocivas do Irão na região".

O exército israelita lançou hoje um ataque em larga escala contra objetivos iranianos na Síria e ainda contra o sistema de defesa antiaéreo sírio, depois de um caça israelita ter sido abatido esta manhã.

"Doze objetivos, incluindo três baterias de defesa aérea e quatro objetivos iranianos que fazem parte do estabelecimento militar do Irão na Síria, foram atacados", informou o exército num comunicado.

Durante o ataque, as baterias antimísseis dispararam contra a aviação israelita levando à ativação pela segunda vez no dia de hoje dos alarmes antiaéreos nos Montes Golan, situados a norte de Israel e ocupados pelo Estado judaico desde 1967.

Primeiro, um avião F16 do israelita foi derrubado pela Síria quando os caças atacaram objetivos iranianos no país vizinho, em resposta à incursão de um drone iraniano em espaço aéreo israelita.

O avião, que foi atingido, caiu em território israelita e os pilotos, um em estado grave, foram transportados para um centro de saúde.

"Um piloto do exército ficou gravemente ferido devido à evacuação de emergência de um avião. O piloto foi transportado para o hospital para receber tratamento médico. O incidente está a ser revisto. A família foi notificada", informou um porta-voz militar pouco depois do incidente.

"O exército vê os ataques iranianos e a resposta síria como uma violação grave e irregular da soberania israelita", advertiu o porta-voz.

O primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, reiterou a sua preocupação com o aumento das forças pró-iranianas na Síria que combatem conjuntamente com o Presidente sírio, Bashar al Assad, e assegura que não permitirá que se posicionem perto da linha divisória.

Depois dos ataques de hoje, Israel afirmou que "está preparado para todos os cenários" e que "continuará a atacar quando for necessário".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG