Coligação internacional controla 90% de Raqa, bastião do Estado Islâmico

Observatório Sírio dos Direitos Humanos disse que "os jihadistas estão confinados ao centro da cidade" de Raqa

As forças apoiadas pelos Estados Unidos na Síria "controlam agora 90 por cento" em Raqa e a batalha pelo controlo da 'capital' do grupo radical Estado Islâmico "está a chegar ao fim", estimaram os combatentes e uma organização.

Cercados há mais de três meses nesta cidade no norte da Síria, os jihadistas parecem incapazes de resistir aos intensos ataques aéreos da coligação internacional chefiada por Washington.

"Graças aos ataques aéreos intensivos da coligação liderada pelos EUA, em 48 horas o Estado Islâmico retirou-se de pelo menos cinco distritos, pelo que as Forças Democráticas Sírias controlam agora 90% da cidade", declarou hoje o diretor do Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), Rami Abdel Rahmane, à agência noticiosa France-Presse.

Segundo o responsável, "os jihadistas perderam todos os bairros no norte de Raqa (...) e estão confinados ao centro da cidade", incluindo a zona onde se localizam os silos de grão e os moinhos, também localizados na parte norte da cidade.

Num comunicado, as Forças Democráticas Sírias anunciaram que, nos últimos cinco dias, realizaram "um ataque-surpresa" no norte da cidade, libertando vários setores e "dispersando as forças jihadistas".

"Estamos nas últimas etapas" da batalha por Raqa, "que está a chegar ao fim", disseram as mesmas forças.

Abdel Rahmane sustentou que, "após a morte de centenas de jihadistas nas últimas semanas, estes últimos não conseguem resistir por muito mais tempo em Raqa, já que os seus recursos de equipamentos militares, armas e alimentos estão a esgotar-se".

Além disso, os combatentes do grupo extremista também não conseguem resgatar seus feridos e retiraram-se para o centro, onde acreditam estarem "mais seguros".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG