Singapura é o primeiro país a aprovar venda de carne criada em laboratório

A Agência de Segurança Alimentar de Singapura realizou uma extensa análise do produto para garantir que se trata de um alimento adequado para consumo.

As autoridades de Singapura aprovaram um regulamento que permite a venda de carne criada em laboratório, informou a empresa Eat Just, tornando-se no primeiro país do mundo a autorizar a comercialização.

O fabricante, com sede na cidade norte-americana de São Francisco, poderá vender na cidade-estado aperitivos de galinha feitos a partir da cultura celular, o que evita o sacrifício de animais.

A Agência de Segurança Alimentar de Singapura realizou uma extensa análise do produto para garantir que se trata de um alimento adequado para consumo, afirmou em comunicado a Eat Just, que criou a marca "good meat" para a comercializar no território.

A empresa afirmou que o seu produto é mais saudável e mais sustentável do que a carne de frango e que os seus cientistas e peritos trabalharam durante meses para preparar documentação sobre o processo de produção.

"Incluiu pormenores sobre a pureza, identidade e estabilidade das células de frango durante o processo de fabrico, bem como uma descrição detalhada do processo de fabrico que demonstrou que o frango de cultura colhido cumpria os controlos de qualidade do rigoroso sistema de controlo de segurança alimentar", afirmou.

Eat Just acabou também de anunciar um plano para construir e operar uma fábrica de produção em Singapura para satisfazer a procura do produto.

"Singapura é há muito tempo líder em inovação, desde a tecnologia aos produtos orgânicos, e agora também lidera o desenvolvimento de um sistema alimentar mais saudável e seguro. Estou convencido que a aprovação regulamentar de Singapura para a carne de cultura será seguida por muitos outros países", disse o presidente executivo da Eat Just, Josh Tetrick.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG