"Seria muito importante que cada país apresentasse o seu plano de reconstrução"

Presidente do Parlamento Europeu apela aos "países conscientes" para serem "responsáveis", perante a "oportunidade" de fortalecer as políticas da União Europeia.

O presidente do Parlamento Europeu esteve reunido na manhã desta terça-feira (26 de maio), por videoconferência, com a Chanceler alemã, Angela Merkel. Os dois debateram o plano de recuperação para a Europa.

No final da reunião, numa conferência de imprensa, David Sassoli apelou à responsabilidade e cooperação dos Estados, esperando que contribuam para uma Europa mais unida, já que está perante uma "oportunidade" para se fortalecer.

Mas, para isso presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli defende, que em vez das divisões predominantes, deve haver coesão entre os países europeus.

"Não existem países frugais ou países gastadores. Existem países conscientes. O meu apelo é que todos sejam responsáveis. Precisamos sair disto com uma União Europeia mais forte, com um plano ambicioso, mas também com uma visão da Europa", afirmou.

David Sassoli defendeu um plano de recuperação para a Europa que seja capaz de dar um impulso e de "fortalecer as políticas da União".

"Estamos convencidos de que esta é a altura certa para iniciar as reformas necessárias para permitir que os nossos países tenham padrões, ao nível do modelo social e de parâmetros económicos cada vez mais homogéneos", disse no final de uma videoconferência com a chanceler alemã, Sassoli defendeu a cooperação e responsabilidade de todos os governos europeus.

"Seria muito importante que cada país apresentasse o seu plano de reconstrução. Acredito que essa pode dar uma perspetiva a partir da qual também desenvolveremos investimentos e conseguiremos crescimento, neste momento difícil para a nossa sociedade", defendeu o socialista italiano, que lidera o Parlamento Europeu.

"Penso que estamos a caminhar para um período, como dissemos no início da crise, que queremos sair da emergência com uma União Europeia mais forte, capaz de enfrentar os desafios do mundo global, que pode contribuir para que a globalização tenha regras e, é claro, mesmo com um espírito de proteção da área europeia", defendeu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG