Seis mortos em acidente com hidroavião turístico em Sydney

Passageiros regressavam de uma festa. Caiu à água e afundou instantaneamente

Seis pessoas morreram hoje na sequência da queda de um hidroavião turístico num rio de Sydney, na Austrália. Os cinco passageiros regressavam de uma festa num restaurante à beira mar, no norte da cidade, antes das celebrações de fim de ano.

As autoridades ainda não apuraram as causas do acidente, nem revelaram a identidades dos passageiros. No entanto, as primeiras informação indicam que quatro dos passageiros seriam cidadãos britânicos.

O aparelho era operado pela Sydney Seaplanes, um importante operador turístico daquela cidade, que já transportou celebridades como Bill Gates, Jerry Seinfeld, Cuba Gooding Jr ou Ed Sheeran.

O hidroavião caiu na água e afundou instantaneamente, segundo os relatos de testemunhas. Os corpos das vítimas já foram resgatados.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.