Seis ladrões encontrados com as mãos amputadas

Ao lado das vítimas estava um cartaz que dizia que a amputação foi um castigo pelos crimes

Seis pessoas foram encontradas esta segunda-feira pela polícia mexicana sem mãos e com a palavra "rato", que significa ladrão na gíria, escrita nos braços e tronco. Ao lado dos feridos estava um homem morto, de 39 anos, que terá sido vítima dos mesmos agressores.

Os cinco homens e uma mulher, que têm entre 35 e 43 anos, foram amputados por um grupo que se identifica como Grupo Elite Anti Ratas que descreveu aquele ato como um castigo por roubarem. Segundo o jornal El Universal, as vítimas tinham todas antecedentes criminais.

Os agressores, que dizem fazer justiça pelas próprias mãos, deixaram um cartaz ao lado do cadáver em que prometiam continuar a perseguir ladrões e quem não respeitar mulheres e crianças.

As feridas das seis pessoas foram cobertas por um saco plástico e as mãos de todos foram colocadas dentro de um saco encontrado também no local pela polícia, segundo o jornal El Universal.

O comandante da polícia de Tlaquepaque, em Jalisco, disse que provavelmente as vítimas foram raptadas antes de serem mutiladas e que o caso está a ser investigado. As seis vítimas estão em choque e foram encaminhadas para hospitais diferentes

Imagens chocantes da cena foram publicadas nas redes sociais e tornaram-se virais no México.

Segundo o jornal Telemundo, as cena dos carteiristas amputados não foi a única do género a acontecer nos últimos anos, pois ultimamente têm sido criados vários grupos de justiceiros civis no México.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG