Secretário do Tesouro americano sugere a Greta Thunberg que estude Economia

O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, sugeriu ​​​​​​à ativista pelo clima Greta Thunberg que vá estudar Economia, defendendo que não é preciso deixar de utilizar combustíveis fósseis.

Numa conferência de imprensa à margem do Fórum Económico Mundial, que decorre em Davos, na Suíça, o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, perguntou "Quem é Greta Thunberg?", referindo-se à jovem de 16 anos que foi a Davos acusar governos e empresas de falta de ação para mitigar ou reduzir os efeitos das alterações climáticas no planeta.

Mnuchin sugeriu que Greta Thunberg vá estudar Economia e volte depois "para explicar tudo", pondo em causa o impacto económico das alterações climáticas, no mesmo sentido do presidente do seu país - um dos maiores poluidores mundiais -, Donald Trump, que em Davos criticou os "profetas que vaticinam um apocalipse climático" na Terra.

O responsável pelo Tesouro norte-americano afirmou que os Estados Unidos lideram nas energias limpas e na redução de emissões de gases com efeito de estufa.

Para Mnuchin - que segundo a revista Forbes tem uma fortuna estimada em 400 milhões de dólares -, o que importa na economia de um país é a criação de emprego.

O secretário do Tesouro norte-americano não ficou sem resposta. A ativista afirmou, no Twitter, que não precisa de um diploma em economia para perceber o que está a acontecer com o planeta. A jovem desafiou Mnuchin "a explicar às gerações futuras e às pessoas afetadas pelas alterações climáticas por que devemos abandonar os nossos compromissos" com o clima.

A administração Trump e Greta Thunberg cruzaram os seus discursos, desde terça-feira, em painéis de discussão no Fórum Económico Mundial, em Davos, mas os organizadores evitaram cuidadosamente qualquer confronto direto.

Num discurso proferido na terça-feira, o presidente dos EUA, Donald Trump, criticou os "profetas da destruição" e aqueles que previram um "apocalipse" climático, enquanto Thunberg estava na plateia.

Greta repetiu as suas advertências climáticas, afirmando no seu discurso que estava na hora de o mundo "entrar em pânico" porque "a casa está a queimar", e voltou a criticar a inação política dos líderes mundiais.

Atualizado às 16:43

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG