Scotland Yard pede mais dinheiro para continuar a investigar caso Maddie

A investigação britânica, que dura há seis anos, poderá estar prestes a terminar, graças a uma nova pista que necessita de financiamento, segundo a Scotland Yard

A Scotland Yard vai pedir mais dinheiro para continuar a investigação de seis anos sobre o desaparecimento de Madeleine McCann, e tudo indica que o governo está disposto a pagar para que o trabalho fique completo: os detetives estarão na posse informações que podem levar a investigação até ao fim.

"Vamos pedir mais dinheiro porque precisamos de completar o trabalho que está a ser feito. É complicado e não tão simples como esperávamos, mas vale a pena", disse uma fonte da polícia, citada pela Sky News.

"O financiamento está em vigor até ao final do mês de setembro. Qualquer detalhe sobre o futuro financiamento será anunciado quando for apropriado", referiu entretanto a Scotland Yard.

O Ministério do Interior do governo britânico confirmou que ainda não recebeu nenhum novo pedido de financiamento mas, se acontecer, "será considerado com cuidado".

Madeleine McCann tinha quase quatro anos quando desapareceu do apartamento na Praia da Luz, no Algarve, onde a família passava férias, sem deixar rasto. Foi em maio de 2007.

A polícia portuguesa encerrou a investigação passados 15 meses, sem encontrar explicação para o desaparecimento. Em 2011, depois do pedido dos pais Kate e Gerry McCann, o primeiro-ministro David Cameron solicitou que a Scotland Yard retomasse a investigação com ajuda financeira do Ministério do Interior.

Há 16 meses, o comissário da Scotland Yard Bernard Hogan-Howe afirmou que a sua equipa esperava fechar uma pista final da investigação em poucos meses; em 2015, o comissário viu a equipa ser reduzida de 30 para três pessoas.

"Esta linha de investigação é provavelmente a conclusão da investigação", disse.

"Temos uma pista significativa que vale a pena perseguir e por valer a pena persegui-la poderá dar-nos uma resposta, mas por enquanto não sabemos se vamos lá chegar ou não", disse o comissário assistente Mark Rowley.

A polícia não avança detalhes da pista em investigação ou porque é tão difícil resolvê-la, limitando-se a pedir mais tempo para investigar. Há suspeita de que as autoridades procurem uma testemunha chave, mas nada foi confirmado.

O porta-voz da família MacCann disse à Sky News que "os MacCanns estão satisfeitos. O facto da polícia sentir que ainda há trabalho para fazer, mas apenas precisa de financiamento, é muito encorajador. Eles estão gratos a todos os oficiais envolvidos na investigação".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG