Sarkozy admite derrota nas primárias de direita e diz que votará Fillon

Ex-presidente ficou em terceiro e fora da corrida à presidência, atrás de François Fillon, em primeiro, e Alain Juppé em segundo

O antigo presidente francês Nicolas Sarkozy reconheceu este domingo a derrota nas eleições primárias da direita francesa, que escolhe o candidato para as presidenciais de 2017, e indicou que vai apoiar François Fillon, que foi primeiro-ministro da França entre 2007 e 2012.

"Tenho grande estima por Alain Juppé, mas sinto-me mais próximo das opções políticas de François Fillon", disse Sarkozy aos apoiantes. "Votarei, por isso, em Fillon na segunda volta das primárias", revelou. "Não tenho qualquer arrependimento ou tristeza e desejo o melhor para o meu país, para os meus concidadãos e para aquele que irá liderar este país que amo tanto", acrescentou.

Segundo a contagem que, nesta altura, já inclui os resultados de 8709 assembleias de voto - de um total de 10 229 .- Sarkozy fica em terceiro lugar nas primárias, com 21,0% dos votos. Fillon está em primeiro com 44,1% dos votos e Juppé em segundo, com 28,2%.

Sarkozy disse ainda ser o tempo de levar uma vida com mais "paixão privada" e menos "paixão pública", deixando explícito de que vai retirar-se, para já, da vida política. "Boa sorte à França, boa sorte para todos. Fiquem com a certeza de que francês sou e francês continuo. E tudo aquilo que de perto ou de longe toque à França, tocar-me-á pessoalmente. Sou assim, não mudo".

As primárias da oposição francesa, etapa chave para as presidenciais de 2007, começaram oficialmente a 21 de setembro com a confirmação de sete candidatos, entre os quais eram favoritos Nicolas Sarkozy, o ex-primeiro-ministro Alain Juppé e o também antigo chefe de Governo François Fillon.

As primárias foram anunciadas como dirigidas a todos os que se reconhecem nos "valores da direita e do centro", militantes ou não.

Com Reuters

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG