Santuário da vida selvagem acusado de ser fachada de tráfico de tigres

Templo a oeste de Banguecoque está sob suspeita

Três monges budistas foram acusados pelas autoridades tailandesas por contrabando de tigres, quando tentavam traficar peles destes felinos e amuletos construídos a partir de órgãos destes animais.

No templo onde foram descobertas 40 crias de tigres mortas, as autoridades encontraram, ainda, 20 recipientes de vidro com órgãos vitais destes felinos.

O Departamento Nacional dos Parques tailandês suspeita que estes jarros estariam a ser vendidos pelas suas propriedades medicinais, reporta a Reuters.

A medicina tradicional chinesa utiliza os órgãos de tigre, alimentando um circuito de tráfico multimilionário que ameaça a continuidade da espécie.

Há vários anos que os ativistas criticam a utilização dos tigres como atração turística por estes monges.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG