Sánchez admite ter ministros do Podemos e Ciudadanos

Líder do PSOE reúne-se amanhã com Pablo Iglesias.

Um dia antes de se reunir com o secretário-geral do Podemos, Pablo Iglesias, Pedro Sánchez admitiu hoje que não coloca de parte "a hipótese de vir a incluir no governo representantes do Podemos e do Ciudadanos".

"A única formulação possível é um governo transversal, um governo horizontal. Um governo onde estejam representadas todas as forças políticas da mudança".

Em declarações à rádio Cadena Ser, Pedro Sánchez sublinhou que essa era "a única formulação possível" para o seu executivo e assegurou que amanhã será "muito franco" com Pablo Iglesias.

O secretário-geral do PSOE afirmou que o país precisa urgentemente de um "governo de mudança" e que isso só pode acontecer se os três partidos - PSOE, Podemos e Ciudadanos - chegarem a um acordo.

Pedro Sánchez avisou que "não existe grande margem de manobra" e apelou ao bom senso de Iglesias "para desbloquear a situação".

"O Ciudadanos alinha e o Partido Socialista também. Estamos à espera do senhor Iglesias".

O Podemos vê a reunião de amanhã como uma oportunidade para chegar a um acordo e avisou esta terça-feira que não vai oferecer abstenção a uma investidura de Pedro Sánchez.

Em declarações à TVE, Irene Montero, a porta-voz adjunta do partido no Congresso dos Deputados, disse que o Pablo Iglesias continua a reclamar a vice-presidência do hipotético governo, mas descarta a abstenção do Podemos apesar de Sánchez manter um acordo com o líder do Ciudadanos, Albert Rivera.

O Podemos criticou o acordo assinado em fevereiro entre o PSOE-Ciudados por beneficiar o sector privado e ir contra o "governo de mudança" que Sánchez têm vindo a sugerir.

Exclusivos