Rússia mata três soldados turcos por engano. Putin pediu desculpa a Erdogan

Bombardeamentos russos atingiram edifício onde estavam tropas turcas na Síria. Há ainda onze feridos a registar

Vladimir Putin telefonou esta quinta-feira a Erdogan, o presidente da Turquia, para lhe pedir desculpa depois de as forças russas terem atingido mortalmente, por engano, três soldados turcos no norte da Síria.

Segundo a BBC, os três militares turcos estavam a apoiar rebeldes sírios que tentam reconquistar a cidade síria de al-Bab, capturada pelos 'jihadistas' do Estado Islâmico. A ação faz parte de uma ofensiva maior da Turquia, que tem tentado afastar o Estado Islâmico e os curdos da fronteira com a Síria.

Os turcos estariam num edifício, próximo da cidade de al-Bab, que foi hoje atingido por um bombardeamento das forças russas, informou o exército da Turquia. Os alvos seriam terroristas do Estado Islâmico mas, "por acidente", foi bombardeado o local onde se encontravam os militares turcos. Três não sobreviveram e outros onze ficaram feridos no ataque.

O Kremlin emitiu entretanto um comunicado referindo que o presidente russo, em conversa telefónica com o homólogo turco, tinha transmitido "condolências devido ao trágico incidente que resultou nas mortes de vários militares na área de al-Bab". Os dois líderes acertaram igualmente um intensificar dos esforços de coordenação entre os dois países nas "operações que decorrem na Síria contra os militantes do Estado Islâmico e outras organizações extremistas".

As relações entre Rússia e Turquia melhoraram recentemente depois de uma crise diplomática espoletada após no final de 2015, quando os turcos abateram um avião russo que sobrevoava território turco próximo da fronteira com a Síria.

Porém, a Rússia tem sido um aliado chave do presidente sírio Bashar al-Assad, enquanto a Turquia combate na Síria ao lado dos rebeldes que se opõem ao regime de Assad, estando forças de ambos os países a auxiliar os sírios na luta contra os terroristas do Estado Islâmico.

Em dezembro de 2016, o embaixador russo na Turquia, Andrei Karlov, foi morto por um elemento das forças policiais turcas. Nessa ocasião, foi Erdogan quem telefonou a Putin, para o informar sobre o ataque. Moscovo considerou-o "um ato terrorista".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG