Rússia: Cinco novas ilhas descobertas após glaciar do ártico derreter

Ilhas já tinham sido detetadas em 2016, no entanto só agora emergiram.

As alterações climáticas estão a derreter colotas polares e a desvendar novos territórios. As forças armadas da Rússia anunciaram a descoberta de cinco novas ilhas no Ártico depois do degelo que ocorreu na região, expondo as massas à superfície. As ilhas variam de dimensão, entre 9600 a 580000 pés quadrados - aproximadamente o mesmo tamanho de 10 campos de futebol.

Segundo a revista de notícias Newsweek, o Ministério da Defesa divulgou um comunicado onde diz que as ilhas foram encontradas pela primeira vez pela engenheira Marina Migunova, em 2016. A engenheira trabalhava no navio hidrográfico Vizir da Frota do Norte e integrava uma equipa que ia ao arquipélago de Franz Josef Land no Oceano Ártico, quando encontrou as massas terrestres através da análise de imagens satélite.

"Pesquisas topográficas foram realizadas nas novas ilhas; são descritas em detalhe e fotografadas", afirma o comunicado.

As forças armadas russas tem uma base nessa região e os investigadores da Marinha Russa têm estudado a área durante muitos anos. Observaram as mudanças nas costas da terra de Franz Josef Land e do arquipélago de Novaya Zemlya. Estas ilhas descobertas encontram-se na baía de Vise, na costa de Kara de Novaya Zemlya.

Aparecimento de ilhas

As ilhas emergiram quando o gelo, existente na área, derreteu, perto da camada de gelo de Nansen - uma extensão congelada que tinha cerca de 48 por 15 quilómetros

De acordo com o Newsweek, o oceanógrafo Tom Rippeth do Reino Unido comentou alegando não ser surpresa blocos de gelo poderem suportar camadas terrestres. "À medida que o clima aquece, o gelo derrete e põe em evidência a terra ou o que está por baixo. Este é mais um sintoma do aumento do aquecimento global no Ártico", disse o especialista. Os cientistas preveem que muitas mais colotas polares derretam à medida que o planeta aquece.

Segundo um artigo no Financial Times, as alterações climáticas têm causado a abertura de novas rotas marítimas que estavam até então congeladas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG