Rapariga de 11 anos forçada a casar com homem de 41 indigna a Malásia

Governo malaio diz não ter registo do casamento, que se realizou na Tailândia, e estar a investigar.

O noivo tem 41 anos, duas outras mulheres e seis filhos, com idades entre os cinco e os 18 anos. A noiva tem 11 anos, é filha de trabalhadores tailandeses que vivem na Malásia, e estes deram o consentimento para que fosse a sua terceira mulher.

As imagens do noiva a segurar na mão da noiva geraram indignação na Malásia e apelos para que a idade mínima para o casamento passe para os 18 anos, inclusive nos tribunais religiosos.

O governo malaio garantiu não ter qualquer registo do casamento, que teve lugar na Tailândia, e estar a investigar.

A UNICEF considerou este caso "chocante e inaceitável", com a sua representante da Malásia, Marianne Clark-Hattingh, a garantir à BBC que "não é no melhor interesse na criança".

Ativistas dos direitos das crianças na Malásia explicaram à televisão britânica que a família da rapariga trabalha no estado de Kelantan, no Nordeste da Malásia, a tirar borracha das árvores. Já o noivo é um comerciante rico.

O que diz a lei?

Na Malásia a lei estipula os 18 anos como idade mínima para casar, mas os tribunais religiosos muçulmanos auroizam com frequência casamentos de menores de 16 anos.

Sem autorização de um tribunal religioso o casamento seria considerado ilegal e o noivo enfrentaria uma apena de até seis meses de prisão, explicou à AFP o ministério das Mulheres, Família e desenvolvimento comunitário. "Casar com uma rapariga de 11 anos é o mesmo que ser pedófilo", afirmou a ativista Syez Azmi Alhabshi.

Também segundo a AFP, as ONG que trabalham nesta área afirmam que cerca de 16 mil raparigas malaias com menos de 15 anos foram forçadas a casar. Apesar de em 2017 ter aprovado uma lei que criminaliza crimes sexuais contra crianças, o país não criminaliza o casamento infantil.,

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG