Rajoy dá entrevista à mesma hora do debate a que recusou ir

"El País" transmite hoje pela internet, das 20.00 às 21.30, confronto eleitoral entre candidatos do PSOE, do Ciudadanos e do Podemos

Pedro Sánchez, Albert Rivera e Pablo Iglesias participam hoje no primeiro debate para as legislativas de 20 de dezembro. Trata-se do primeiro grande confronto eleitoral transmitido através da internet na história da democracia espanhola, numa emissão interativa organizada pelo jornal El País. Os líderes do PSOE, Ciudadanos e Podemos não poderão, porém, interagir com o candidato do Partido Popular, o primeiro-ministro Mariano Rajoy. O PP alegou razões de agenda para não enviar o líder, mas o certo é que hoje, à mesma hora, Rajoy dará uma entrevista à Telecinco.

Segundo o diretor daquele diário, António Caño, o chefe do governo "foi convidado e continua a estar convidado. Respeitamos a decisão que tomar. A sua ausência não vai prejudicar o debate, prejudicaria os eleitores e espectadores". Através do Facebook, o responsável da publicação disse que "o primeiro-ministro deve uma explicação sobre porque quer ser reeleito, o que quer fazer com Espanha. Não somos nós que estamos a perguntar, é algo que deve aos cidadãos, a quem está a pedir o seu voto".

O El País não aceitou a opção de ter no debate a vice-primeira-ministra, Soraya de Santamaría, em substituição de Rajoy. Este prefere as entrevistas individuais e participar num único frente a frente, organizado pela Academia de Televisão no dia 14 de dezembro, com o socialista Pedro Sánchez. A oposição acusa o chefe do governo de estar a fugir aos debates.

Decidir o voto

Estes encontros entre os candidatos poderão ser decisivos e pesar no voto de muitos espanhóis. Segundo a última sondagem realizada pela Metroscopia para o El País (publicada ontem) a vitória está ao alcance de três partidos. PP, PSOE e Ciudadanos têm valores próximos nas intenções de voto (22,7%, 22,6% e 22,6% respetivamente). O Podemos, com 17,1%, fica mais distante da vitória. A sondagem foi realizada entre os dias 23 e 25 deste mês junto de 1 200 entrevistados. O Ciudadanos, que em outubro superou o Podemos, mantém-se como força de primeiro plano.

Para o diretor do El País, durante a campanha eleitoral os debates são os acontecimentos que mais influenciam o voto. "Debates como este podem mudar o curso das eleições porque gerem a aceitação ou a rejeição dos candidatos", sublinha António Caño. "Servem para fazer um retrato deles, para observar a sua capacidade de dialética e para comprovar a sua linha de defesa ou de ataque face ao opositor. A verdade é que ajudam o eleitor a ver se considera que esse candidato pode ou não ser primeiro-ministro", acrescenta, sublinhando que no debate de hoje, pela internet, "aproveitamos a enorme penetração do meio entre os votantes jovens e as múltiplas possibilidades que tem o âmbito digital".

Detalhes do debate

No debate de hoje, entre as 20.00 e as 21.30, hora portuguesa, o sinal será emitido pelo site do El País e pelos sites de outras televisões que se queiram ligar ao mesmo. "Vamos oferecer o sinal de uma forma gratuita. O Elpais.com vai transformar-se hoje num ecrã de televisão onde poderão seguir o debate com a máxima qualidade", esclarece o diretor daquela publicação.

Os candidatos do PSOE, do Ciudadanos e do Podemos poderão lançar as suas mensagens através da televisão, de telemóvel ou de qualquer outra plataforma que tenha acesso à internet. O debate, moderado pelo jornalista Carlos de Vega, vai estar estruturado em quatro grandes blocos temáticos: economia e emprego, política social e Estado social, política territorial, reformas e regeneração política.

Em cada bloco os candidatos vão apresentar as suas propostas e posteriormente começará entre eles uma discussão de nove minutos, onde podem interromper-se e até mesmo interpelar-se. No final, cada um dos três candidatos vai ter direito ao chamado minuto de ouro para dirigir mensagens dirigidas aos 36 milhões de eleitores espanhóis chamados a votar a 20 de dezembro.

O debate vai decorrer num estúdio da Comunidade de Madrid com o público que assistir ao vivo a poder formular perguntas aos três candidatos. O mesmo acontecerá com os internautas que estejam conectados ao site do El País, conforme acordou o jornal espanhol com os representantes dos partidos que vão participar (Óscar López pelo PSOE, Íñigo Errejón pelo Podemos e José Manuel Villegas pelo Ciudadanos).

Os internautas poderão aceder a gráficos relacionados com os temas tratados nos distintos blocos em que se vai dividir o programa. Para escolher os participantes foram seguidos dois critérios: os resultados das diferentes eleições que tiveram lugar este ano e a média das sondagens publicadas nos últimos meses.

Espanha é um país sem grande tradição de debates eleitorais. Das 11 legislativas que foram realizadas em democracia, apenas três contaram com debates entre os três candidatos ao Palácio da Moncloa. No escrutínio de 2011 realizou-se um debate entre os candidatos do PSOE e do PP, Perez Rubalcaba e Mariano Rajoy, cujo partido teria depois maioria absoluta. Feito que desta vez não deverá repetir.

Em Madrid

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG