Raios matam 65 pessoas em quatro dias

Desflorestação e, sobretudo, o corte das árvores mais altas poderão estar na origem de tantas mortes, segundo um meteorologista

65 pessoas morreram em quatro dias no Bangladesh ao serem atingidas por raios. Apesar deste tipo de fenómeno ser normal naquele país, nunca tinham sido registadas tantas vítimas. A maioria eram agricultores ou trabalhadores da construção civil e estavam em zonas rurais no norte e centro do Bangladesh . Só na quinta-feira morreram 34 pessoas.

"Estamos a falar com os meteorologistas para tentar perceber porque o número de mortes foi tão alto este ano", afirmou à CNN Reaz Ahmed, diretor geral do departamento de gestão de desastres.

Para o meteorologista Shah Alam, o aumento do número de vítimas explica-se pela desflorestação e sobretudo pelo corte das árvores mais altas, como as palmeiras, que funcionam como para-raios, atraindo-os. Além disso, os trabalhadores agrícolas cada vez têm mais objetos metálicos, como telemóveis, por exemplo.

Reaz Ahmed referiu que o governo está a efetuar campanhas para informar as pessoas como se podem proteger dos raios. Disse ainda que as famílias das vítimas estão a receber o equivalente a 223 euros.

O Bangladesh é atingido frequentemente por tempestades antes e durante a época das monções, que se estende de junho a setembro.

Com Lusa

Exclusivos

Premium

Flamengo-Grémio

Jesus transporta sonho da Champions para a Libertadores

O treinador português sempre disse que tinha o sonho de um dia conquistar a Liga dos Campeões. Tem agora a oportunidade de fazer história levando o Flamengo à final da Taça Libertadores para se poder coroar campeão da América do Sul. O Rio de Janeiro está em ebulição e uma vitória sobre o Grémio irá colocar o Mister no patamar de herói.