Mike Pence e dirigentes norte-coreanos evitam frente-a-frente

Estiveram todos numa receção mas não se encontraram. Na cerimónia de abertura dos jogos, o ambiente pareceu tenso

Todos os olhares estão postos nos Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang, na Coreia do Sul, já chamados de jogos da paz, pela presença de uma equipa e delegação da Coreia do Norte. Mais do que o desporto, há para já interesse em assistir aos encontros diplomáticos e reações entre aqueles que durante anos não se enfrentaram ou o fizeram sob a forma de ameaças.

Antes da cerimónia de abertura dos Jogos, o vice-presidente norte-americano, Mike Pence, e responsáveis norte-coreanos estiveram presentes numa receção organizada pelo presidente sul-coreano, Moon Jae-in, mas não se encontraram frente a frente.

Alyssa Farah, porta-voz de Pence, disse que o vice-presidente dos Estados Unidos falou com alguns convidados na receção, "mas não se cruzou com a delegação norte-coreana".

Pence tinha um jantar com os atletas norte-americanos e não participou no jantar que se seguiu, onde iria partilhar uma mesa com o presidente sul-coreano e o chefe de Estado honorário da Coreia do Norte, Kim Yong Nam, indicou Seul.

De acordo com as imagens mostradas pela televisão, a distribuição de lugares colocava Pence à esquerda de Moon e à frente de Kim.

O chefe de Estado norte-coreano ficaria entre o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, e o presidente do Comité Olímpico Internacional, Thomas Bach.

Já na cerimónia de abertura ficou registado o aperto de mão do presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e a irmã do líder do regime norte-coreano, enviada a PyeongChang para uma estada de três dias. Um momento histórico para as duas coreias.Já antes, ao aterrar, havia sido recebida pelo ministro da Unificação, Cho Myoung-gyon.

Kim Yong Nam, que tirou uma fotografia com o presidente Moon e a sua mulher antes da cerimónia, teve oportunidade para trocar algumas palavras com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe.

Ficou também registada a tensão entre EUA e os representantes da Coreia do Norte. Mike Pence ficou sentado ao lado do presidente da Coreia do Sul, enquanto a delegação norte-coreana ficou na fila de trás. Não há imagens que mostrem ter-se cumprimentado.

O vice-presidente dos Estados Unidos tinha defendido antes da cerimónia que os jogos não deveriam ser usados como uma abertura para negociações com o norte, enquanto este não quiser negociar acerca do seu programa nuclear.

Pence disse que Washington "exigirá, antes de qualquer diálogo ou negociação, que o regime de Kim (Jong-un) ponha em cima da mesa a desnuclearização e tome medidas concretas com a comunidade internacional para desmantelar, permanentemente e irreversivelmente, os seus programas de mísseis nucleares e balísticos".

A península da Coreia está dividida pela zona desmilitarizada desde 1953, data da assinatura de um armistício, que determinou um cessar-fogo. Não tendo sido assinado um acordo de paz, os dois países continuam tecnicamente em guerra.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG