Putin pede a Netanyahu para encarar antigas tensões de forma diferente

Primeiro-ministro israelita esteve em Moscovo, criticando fortemente o Irão, aliado da Rússia

O Presidente russo, Vladimir Putin, pediu esta quinta-feira ao primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, para encarar de forma diferente as antigas e históricas tensões que envolvem a antiga Pérsia, os seus 'herdeiros" iranianos e o povo judeu.

Netanyahu foi hoje recebido no Kremlin (sede da Presidência) em Moscovo e aproveitou para criticar fortemente o Irão, aliado da Rússia na região do Médio Oriente.

"Há 2.500 anos, houve uma tentativa na Pérsia de destruir o povo judeu. Esta tentativa falhou e é isso que celebramos na festa" de Purim, festa judaica que comemora a salvação dos judeus na antiga Pérsia que será assinalada domingo e segunda-feira em Israel, disse Benjamin Netanyahu ao chefe de Estado russo.

"Ainda hoje o Irão, herdeiro da Pérsia, persegue essa tentativa de destruir o Estado judeu. Dizem isso da forma mais clara possível, ao escreverem nos seus mísseis balísticos", afirmou o primeiro-ministro israelita.

Adotando um tom conciliador, Putin afirmou que os acontecimentos descritos por Netanyahu aconteceram "no século V antes de Cristo".

"Agora vivemos no mundo diferente. Vamos falar então", prosseguiu o chefe de Estado russo.

O Irão, que não reconhece a existência do Estado hebreu, é considerado como o inimigo número um por Israel.

Benjamin Netanyahu denuncia regularmente o apoio militar do Irão ao regime da Síria liderado por Bashar al-Assad, outro aliado de Moscovo, no conflito contra a rebelião síria que dura há seis anos.

No domingo, o primeiro-ministro israelita declarou que ia tentar convencer Putin a travar uma presença militar iraniana permanente na Síria.

A Rússia e o Irão, aliados fiéis de Bashar al-Assad, e a Turquia, que apoia os rebeldes sírios, foram garantes do cessar-fogo que entrou em vigor na Síria em finais de dezembro e foram patrocinadores das negociações de paz em Astana (Cazaquistão) para tentar encontrar uma solução para a crise síria.

Exclusivos