Putin anuncia que governo sírio e rebeldes assinaram cessar-fogo

Grupos terroristas, nomeadamente o Estado Islâmico, ficam excluídos do cessar-fogo

Vladimir Putin anunciou esta quinta-feira que o governo sírio chegou a acordo para um cessar-fogo imediato com os rebeldes. "Acabámos de receber há algumas horas a notícia de que o evento pelo qual esperávamos e para o qual temos trabalhado aconteceu", disse o presidente russo, citado pelo The Guardian, durante uma reunião com os ministros da Defesa e dos Negócios Estrangeiros da Rússia. O encontro foi transmitido através da televisão.

Numa declaração difundida pela agência síria de notícias, a SANA, o exército sírio esclareceu que o cessar-fogo excluiu o Estado Islâmico e a frente Al-Nusra, e quaisquer outros grupos terroristas ligados a estes. "O comando geral das forças armadas anuncia uma suspensão completa de todas as hostilidades em território sírio a partir das 00:00 de 30 de dezembro", lê-se num comunicado difundido em Damasco.

De acordo com o presidente russo, foram assinados três documentos: um cessar-fogo entre o governo sírio e a oposição armada, uma lista de mecanismos de controlo para assegurar o funcionamento do cessar-fogo e ainda uma declaração de intenções para dar início às negociações com vista ao final do conflito a nível político.O Exército da Síria anunciou que vai suspender todas as operações militares a partir da meia-noite de hoje

A Coligação Nacional Síria, a principal força da oposição, também já veio dar o seu apoio ao acordo, num comunicado em que manifesta "concordância com o acordo" e em que "apela a todas as partes para que o cumpram".

Com Lusa

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG