Procuradores pedem pena "substancial" de prisão para ex-advogado de Trump

Apesar de cooperar com a justiça, os procuradores de Nova Iorque dizem que Michael Cohen deve ter apenas uma ligeira redução da pena normal, que seria entre quatro e cinco anos.

Os procuradores de Nova Iorque pedem que o antigo advogado de Donald Trump, Michael Cohen, seja condenado a uma pena "substancial" por ter comprado o silêncio de uma estrela de filmes pornográficos em nome do atual presidente e por evasão fiscal.

Cohen declarou-se ainda culpado, num outro caso, de mentir ao Congresso na investigação sobre a Rússia, estando a colaborar com a investigação do procurador -especial Robert Mueller à alegada interferência russa nas presidenciais de 2016 e suposto conluio da campanha de Trump.

O presidente, que considera a investigação de Mueller uma "caça às bruxas" e sempre negou qualquer crime, disse esta semana que Cohen mentiu sobre os seus negócios com a Rússia para ter uma redução da pena.

A sentença de Cohen será conhecida na próxima quarta-feira. Os procuradores acreditam que os crimes refletem "um logro que atravessou a sua vida profissional" e apesar de o ex-advogado do presidente estar a procurar uma redução na sentença por estar a cooperar com a justiça, não merece leniência.

A pena deve sofrer por isso apenas uma ligeira redução do normal, que será de quatro a cinco anos.

"Ele foi motivado a agir assim por ganância pessoal e usou repetidamente o seu poder e influência para enganar", escreveram os procuradores numa nota ao juiz, William H. Pauley III.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG