Prisão preventiva para suspeitos de homicídio da ativista Berta Cáceres

Berta Cáceres foi assassinada a tiro, em casa, na cidade de La Esperanza, no ocidente das Honduras

A justiça das Honduras decretou este domingo prisão preventiva para quatro suspeitos de envolvimento no assassínio, em março, da líder ambientalista e defensora dos direitos humanos Berta Cáceres, informaram fontes judiciais.

O juiz de instrução hondurenho aceitou a proposta do Ministério Público de aplicar a medida de coação máxima contra os suspeitos, capturados na passada segunda-feira.

Berta Cáceres, líder ambientalista e coordenadora do Comité Cívico de Organizações Populares e Indígenas das Honduras (COPINH), foi assassinada a tiro, em casa, na cidade de La Esperanza, no ocidente das Honduras.

A Comissão Internacional dos Direitos do Homem reclamava desde 2009 medidas de proteção para a líder indígena ameaçada.

Dirigente do COPINH, Cáceres tinha-se feito conhecer pela sua defesa do rio Gualcarque, no noroeste das Honduras, onde a empresa DESA previa construir uma barragem hidroelétrica que ameaçava privar de água centenas de habitantes da região em território indígena lenca.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG