Prisão perpétua para ex-polícia e 'serial killer' confesso. Matou 13 pessoas e violou 50

O "Golden State Killer" é um ex-polícia de 74 anos. Entre 1975 e 1986 cometeu dezenas de crimes violentos no estado da Califórnia. Foi agora condenado a 11 penas de prisão perpétua.

Joseph DeAngelo, autor confesso de 13 homicídios e 50 violações cometidos na Califórnia nas décadas de 1970 e 1980, foi condenado nesta sexta-feira a passar o resto da sua vida atrás das grades.

O juiz Michael Bowman condenou DeAngelo a 11 penas de prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional, conforme estabelecido num acordo de junho com a procuradoria, no qual DeAngelo concordou em declarar-se culpado pelos crimes de que foi acusado para evitar a pena de morte.

"Quando uma pessoa comete atos monstruosos, precisa ser presa para que nunca mais possa atacar outro homem inocente", disse o juiz numa audiência realizada numa universidade de Sacramento, como medida de segurança devido à pandemia.

Durante três dias de audiências, vítimas e familiares de vítimas do chamado "Golden State Killer" (assassino do Golden State, nome pelo qual é conhecido o estado da Califórnia) puderam confrontar o agressor.

DeAngelo, um ex-polícia e veterano de guerra de 74 anos, vestido com uma camisa branca sobre um uniforme laranja da prisão e o rosto coberto por uma máscara, manteve uma expressão neutra enquanto ouvia a sentença.

Também conhecido como "East Area Rapist" e "Original Nightstalker", DeAngelo admitiu ter assassinado 13 pessoas e violado 50 entre 1975 e 1986, além de ter cometido vários roubos e sequestros.

Foi detido em 2018, depois de investigadores compararem ADN recolhido na cena de um crime com perfis disponíveis em sites que analisam amostras genéticas de pessoas que querem descobrir a sua ancestralidade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG