Clinton vence no Kentucky e Sanders vence no Oregon

Donald Trump, enquanto único candidato ainda na corrida, soma mais delegados no Oregon para a convenção republicana

O senador norte-americano Bernie Sanders conseguiu na terça-feira derrotar Hillary Clinton nas primárias do Partido Democrata no estado de Oregon. Vários canais televisivos dos Estados Unidos deram Sanders como vencedor, com 53% dos votos.

Também na terça-feira, previa-se que a campanha de Clinton vencesse no estado do Kentucky. A antiga secretária de Estado de Barack Obama reclamou vitória nas primárias desse estado, apesar de resultados iniciais muito próximos entre a candidata favorita e Bernie Sanders.

A secretária de Estado do Kentucky, a democrata Alison Lundergan Grimes, responsável pela organização e supervisão dos eventos eleitorais, declarou Clinton "vencedora não oficial" da votação, numa intervenção em direto na CNN.

"Creio que, tendo em conta o que estamos a observar, o Kentucky permanecerá uma coluna vencedora para os Clinton. Hillary Clinton é a vencedora não oficial", disse Lundergan.

Nas primárias são eleitos delegados à convenção nacional do Partido Democrata em que será nomeado o candidato do partido nas eleições presidenciais de novembro. Clinton lidera esta corrida e é a favorita à nomeação democrata. Segundo a CNN, Hillary Clinton soma já mais de 2200 delegados (representantes que se prevê votarão nela na convenção democrata) enquanto Bernie Sanders, muito distante, tem cerca de 1500. Para vencer na convenção democrata, um candidato precisa dos votos de pelo menos 4765 delegados, embora alguns possam mudar o seu voto quando chegar a altura de escolher.

No Oregon, Donald Trump soma delegados

O magnata do imobiliário Donald Trump, o único pré-candidato que se mantém nas primárias do Partido Republicano dos Estados Unidos, venceu a votação de terça-feira no estado do Oregon.

Vencer no Oregon significa que o multimilionário fica com a maioria dos 28 delegados em jogo no estado, aproximando-se mais dos 1237 de que precisa para conseguir oficialmente a nomeação, algo que só poderá acontecer depois de 7 de junho, dia em que votam os populosos estados da Califórnia e Nova Jersey.

Esta foi a terceira vitória de Trump em primárias depois da retirada dos seus últimos dois rivais, Ted Cruz e John Kasich, após vencer na semana passada, sozinho na corrida, na Virgínia Ocidental e no Nebrasca.

Apesar de Trump ser agora o único candidato republicano nestas primárias, os eleitores podem continuar a votar nos nomes que entretanto abandonaram a corrida.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG