Português encontrado morto em casa com sinais de violência em Moçambique

Há indícios de uma morte violenta. O português era técnico de som em equipas de filmagens.

Um português de 40 anos foi encontrado morto na casa onde residia, em Maputo, com sinais de violência, disse hoje à Lusa o cônsul-geral de Portugal na capital moçambicana.

Alexandre Pamplona tinha sido visto pela última vez no domingo e o corpo foi encontrado na quarta-feira, na habitação no Bairro do Triunfo, com sinais de agressão com uma arma branca.

O português, que vivia sozinho em Maputo, era técnico de som em equipas de filmagem e o seu último serviço tinha sido feito para o Programa Alimentar Mundial (PAM) após o ciclone Idai na zona da cidade da Beira, centro de Moçambique.

"Foram amigos e colegas de trabalho que informaram o consulado na noite de quinta-feira e temos mantido contacto com eles, a família da vítima e as autoridades policiais moçambicanas", que investigam o caso, disse à Lusa o cônsul-geral em Maputo, Frederico Silva.

Os indícios apontam para "uma morte violenta", concluiu.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.