Pompeo foi à Arábia Saudita mas não quis falar dos factos

O secretário de Estado norte-americano deslocou-se a Riade para falar sobre o caso do jornalista Jamal Khashoggi. À saída do país, porém, revelou que não foi falar de factos com a família real saudita.

O chefe da diplomacia norte-americana Mike Pompeo marcou uma viagem de urgência para a Arábia Saudita e para a Turquia para se encontrar com as mais altas figuras dos Estados com um único tema na agenda: o desaparecimento de Jamal Khashoggi no consulado saudita em Istambul.

Depois de se ter reunido com o rei Salman e com o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, o antigo diretor da CIA afirmou aos jornalistas: "Disseram-me que vão fazer uma investigação exaustiva, completa e transparente. E comprometeram-se também em levar à justiça quem esteja ligado a qualquer crime, seja um alto responsável ou um funcionário". Perguntado se isso incluiria alguém da família real, respondeu que foram "muito claros" ao dizer que não abririam exceções.

À pergunta seguinte, se a família real saudita informou se o jornalista crítico do regime está vivo ou morto, a resposta mais inesperada: "Eu não quero falar sobre nenhum dos factos. Eles também não quiseram."

As autoridades turcas afirmam ter provas de que pessoas ligadas ao príncipe herdeiro entraram no consulado e que terão decapitado o jornalista após ter sido torturado.

A administração Trump não conseguiu esconder o embaraço do caso, que liga um jornalista saudita que vivia nos Estados Unidos e escrevia no Washington Post a um regime autoritário. A Arábia Saudita é o mais importante aliado de Washington na região.

Mike Pompeo seguiu para Ancara, onde se reuniu com o presidente Recep Tayyip Erdogan.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG