Polícia sueca recupera coroas reais roubadas

O conjunto de joias reais do século XVII, incluindo duas coroas históricas do rei Carlos IX e da rainha Cristina, tinham sido roubadas no verão de 2018 da catedral de Strängnäs.

Em comunicado, as autoridades indicam que "as insígnias reais funerárias de Carlos IX foram encontradas", em Estocolmo, acrescentando que a polícia "trabalha intensivamente para confirmar a cem por cento" a autenticidade.

Segundo o jornal sueco, Aftonbladet, o conjunto composto por duas coroas, uma esfera e uma cruz apareceu num contentor de lixo, embora as autoridades suecas não tenham confirmado oficialmente este dado.

A polícia explicou que a investigação centrou-se num grupo criminoso em Estocolmo, capital da Suécia, e que ainda procuram por mais suspeitos envolvidos no roubo, além de um jovem de 22 anos que está a ser julgado por um tribunal de Eskilstuna.

O anúncio da descoberta das joias levou à suspensão da última audiência do caso, enquanto se reabre a investigação contra o acusado, que se declara inocente, apesar de provas técnicas o ligarem ao local do roubo.

As câmaras de segurança da catedral registaram no dia 31 de julho duas pessoas a sair da igreja, onde fugiram de bicicleta para um barco com o qual atravessaram o lago Mälaren.

As duas coroas fazem parte do vestuário fúnebre do rei Carlos IX e da sua esposa, a rainha Cristina, que se encontrava num expositor na catedral com um sistema de segurança e alarme anti-roubo.

O assalto real de julho foi o segundo a ter lugar na área em torno do Lago Mälaren nos últimos anos.Em 2013, uma coroa e um cetro usados ​​no funeral do rei da Suécia, Johan III, foram roubados nas proximidades de Västerås. Ss jóias foram posteriormente localizadas em dois grandes sacos de lixo ao lado de uma estrada após uma denúncia à polícia.