Polícia prende o "Golden State Killer" que aterrorizou a Califórnia nos anos 70 e 80

O assassino em série, também apelidado pelos investigadores de "Violador da Área Este" e "Original Night Stalker", é responsável por dezenas de violações e assassinatos

Um ex-polícia reformado norte-americano foi detido e acusado de ser o responsável por oito homicídios atribuídos ao Golden State Killer, um criminoso em série responsável por dezenas de violações e assassinatos que aterrorizaram o estado da Califórnia durante as décadas de 1970 e 1980.

Joseph James DeAngelo, de 72 anos, é acusado de ser o Golden State Killer, numa caso que as autoridades disseram ter resolvido, finalmente, graças a provas de ADN. A detenção foi anunciada em conferência de imprensa em Sacramento, meses depois de o caso voltar à ribalta com um novo livro, o best-seller "I'll Be Gone in the Dark".

O xerife do condado de Sacramento, Scott Jones, disse que o livro ajudou a gerar novas dicas, mas disse que nenhuma da informação que levou à detenção foi diretamente "extraída do livro".

Segundo o FBI, o homem procurado neste caso com cerca de 40 anos estava ligado a 12 homicídios, 45 violações e mais de 120 assaltos dentro e nos arredores de Sacramento, na área oriental da Baía de São Francisco e no sul da Califórnia.

A onda de crimes atingiu 10 condados da Califórnia, lembrou Anne Marie Schubert, procuradora do condado de Sacramento, que tinha 12 anos em 1976, quando esta onde de crimes destruiu um "tempo de inocência" em que os moradores deixavam as portas destrancadas.

O suspeito, também apelidado pelos investigadores de "Violador da Área Este" e "Original Night Stalker", é considerado um dos serial killers mais prolíficos do estado, disse o FBI.

"Finalmente, depois de todos estes anos, a questão de quem cometeu esses terríveis crimes foi resolvida", disse Tony Rackauckas, procurador distrital de Orange County.

DeAngelo morava no subúrbio de Citrus Heights, em Sacramento, quando foi preso na terça-feira. Depois de alguns dias sob vigilância, foi levado sob custódia sem incidentes quando saiu de sua casa, disse Jones, acrescentando que o suspeito pareceu "surpreso" quando confrontado.

DeAngelo foi agente em duas pequenas cidades californianas durante a década de 1970 - Exeter e Auburn. Foi despedido do departamento de Auburn em 1979, após ter sido acusado de roubar um martelo e um repelente de cães de uma loja.

Há muitos que as autoridades especulavam que o assassino teria algum treino militar ou policial por causa do seu à vontade com armas de fogo e por ter conseguido evitar ser preso durante tanto tempo. No entanto, DeAngelo nunca tinha estado entre os suspeitos, até surgirem novas provas de ADN.

A investigação para apanhar a assassino ganhou uma novo fôlego em junho de 2016, quando o FBI ofereceu uma recompensa de 50 mil dólares pelo suspeito. O modus operandi do homicida era o seguinte: invadia as casas de casais à noite, amarrava as vítimas e violava a mulher, antes de assassinar os dois.

O ex-polícia foi formalmente acusado de dois crimes de homicídio pelas mortes de Brian e Katie Maggiore em fevereiro de 1978. O casal estava a passear o cão quando foi perseguido e assassinado. No condado de Ventura foi acusado por outras duas mortes e mais duas no de Orange.

O assassinatos são o tema do livro "I"ll Be Gone in the Dark", de Michelle McNamara, publicado em fevereiro passado, já depois da morte da autora. A escritora, mulher do comediante Patton Oswalt, morreu de forma súbita em 2016 e foi Oswalt que contratou outro escritor para acabar e publicar o livro.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.