Esconderam cadáver para ressuscitar morto através de orações

Pastores de seita cobraram 350 mil kwanzas (1.780 euros) para ressuscitar a vítima, de 27 anos, que faleceu por doença

A polícia angolana deteve três pessoas que mantinham há vários dias um cadáver em casa, na província de Benguela. Os detidos eram irmãos da vítima e estariam a ser orientados por pastores de uma seita, que prometiam ressuscitar o corpo através de orações.

O caso chegou ao conhecimento da polícia através de uma denúncia de vizinhos, alertados pelo cheiro, localizada no município do Lobito.

Segundo o comandante municipal da polícia no Lobito, intendente Carlos Diamantino, estão detidos três irmãos, de 31, 26 e 20 anos de idade, por sonegação de informação, orientados pelos supostos pastores a não declararem o óbito da sua irmã.

Carlos Diamantino disse ainda que a polícia está a realizar buscas para localizar os pastores foragidos, que são ainda acusados de terem cobrado 350 mil kwanzas (1.780 euros) para ressuscitar a vítima, de 27 anos, que faleceu por doença, com orações.

Um dos familiares contou, em declarações à rádio pública angolana, que na sexta-feira, quando se deslocou a casa da vítima para a visitar, não foi permitida a sua entrada, porque os pastores encontravam-se a orar, supondo que na altura a sua cunhada já estivesse morta.

Exclusivos

Premium

Liderança

Jill Ader: "As mulheres são mais propensas a minimizarem-se"

Jill Ader é a nova chairwoman da Egon Zehnder, a primeira mulher no cargo e a única numa grande empresa de busca de talentos e recursos. Tem, por isso, um ponto de vista extraordinário sobre o mundo - líderes, negócios, política e mulheres. Esteve em Portugal para um evento da companhia. E mostrou-o.