Ataque a Academia Militar do Afeganistão mata dois soldados

O grupo Estado Islâmico reivindicou o atentado.

Pelo menos dois soldados afegãos e três atacantes morreram hoje no atentado contra a Academia Militar do Afeganistão, em Cabul, já reivindicado pelo Estado Islâmico.

Segundo a agência EFE, outros dez militares ficaram feridos no ataque suicida, prosseguindo o tiroteio entre as forças de segurança e pelo menos um atacante.

"Matámos três atacantes, outro foi detido pelas nossas forças de segurança e acreditamos que outro atacante resiste no local", informou o porta-voz do Ministério da Defesa, Dawlat Waziri.

Este responsável explicou que o grupo detonou, primeiro, um dispositivo explosivo, que não causou mortos, tendo as forças de segurança conseguido isolar os atacantes numa área das instalações militares.

Entretanto a France Presse noticiou que o grupo Estado Islâmico reivindicou o atentado contra a Academia Militar.

"Os combatentes do Estado Islâmico atacaram a Academia Militar de Cabul durante um ataque suicida", refere a mensagem do seu órgão de propaganda.

Um ataque contra a Academia Militar do Afeganistão, em Cabul, capital do país, está em curso desde a madrugada de hoje, segundo informação de vários responsáveis à agência France Presse.

O ataque começou pelas 05:00 locais (00:00 de Lisboa) com tiros de roquetes seguidos de tiros de armas automáticas, continuando quase três horas depois.

A Academia Marshall Fahim, localizada no noroeste de Cabul, forma o exército afegão.

O ataque suicida de hoje ocorre após outro, também na capital afegã, com uma ambulância carregada de explosivos que no sábado provocou 103 mortos e mais de 200 feridos.

Este último aconteceu uma semana depois do ataque ao hotel Intercontinental em Cabul onde mais de 20 pessoas, a esmagadora maioria estrangeiras, perderam a vida.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG