Papa Francisco apela a médicos que combatam o aborto

O líder da Igreja Católica considerou que esta é uma questão de direitos humanos e não uma questão religiosa.

O Papa Francisco apelou hoje aos médicos para que incentivem as famílias a levarem as gravidezes até ao fim, mesmo quando sabem que o feto está gravemente doente ou com malformações.

Para o Papa Francisco, o aborto nunca deve ser uma opção.

"Será lícito deitar fora uma vida para resolver um problema? Será lícito contratar um assassino para resolver um problema?", questionou, durante uma audiência realizada hoje com participantes de uma conferência antiaborto promovida pelo Vaticano.

O líder da Igreja Católica considerou que esta é uma questão de direitos humanos e não uma questão religiosa.

O Papa condenou quem decide abortar com base em testes pré-natais, lembrando que um ser humano "nunca é incompatível com a vida", mas defendeu que as mulheres que o fazem têm de ser perdoadas.

Exclusivos

Premium

Vida e Futuro

Formar médicos no privado? Nem a Católica passa no exame

Abertura de um novo curso de Medicina numa instituição superior privada volta a ser chumbada, mantendo o ensino restrito a sete universidades públicas que neste ano abriram 1441 vagas. O país está a formar médicos suficientes ou o número tem de aumentar? Ordem diz que não há falta de médicos, governo sustenta que "há necessidade de formação de um maior número" de profissionais.