Panda vermelho em fuga na Irlanda do Norte

Um exemplar de panda vermelho, uma espécie ameaçada, desapareceu do jardim zoológico de Belfast. Autoridades acreditam que se aventurou até às imediações de uma povoação vizinha.

As autoridades de Belfast, na Irlanda do Norte, emitiram este domingo um alerta para o desaparecimento de um panda vermelho. Acredita-se que o animal terá fugido na direção de Glengormley, uma localidade a norte de Belfast que fica a uma pequena distância do jardim zoológico.

Apesar da natureza pacífica desta espécie, as autoridades estão a pedir aos cidadãos que não se aproximem do panda evadido caso o avistem, optando antes por avisar a polícia através do número de emergência.

O Jardim Zoológico de Belfast está fechado para manutenção entre esta segunda-feira e sexta-feira, não se sabendo se a fuga do panda vermelho estará relacionada com os preparativos desta ação. O zoo integra um programa de reprodução da espécie e, em novembro, celebrou o nascimento de duas crias.

Pouco maiores do que um gato doméstico, os pandas vermelhos - uma espécie rara e classificada como ameaçada - são naturais dos Himalaias, na Ásia, com a sua população a distribuir-se por Butão, China, Paquistão, Índia, Laos, Nepal e Myanmar. Tal como os seus "parentes" mais próximos, os pandas gigantes, alimentam-se sobretudo de bambu.

A espécie pode também ser vista no jardim Zoológico de Lisboa.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.