País Basco e Galiza convocam eleições para 12 de julho

Eleições autonómicas nas duas regiões estavam previstas para 5 de abril, mas foram adiadas por causa do novo coronavírus.

Os presidente do governo basco, Iñigo Urkullu, e galego, Alberto Núñez Feijóo, vão anunciar esta segunda-feira a convocação de eleições autonómicas para o dia 12 de julho. As eleições, inicialmente previstas para 5 de abril, foram suspensas e adiadas por causa da pandemia de coronavírus, que já matou mais de duas mil pessoas nas duas comunidades, num total de 27 650 óbitos em Espanha.

Urkullu, do Partido Nacionalista Basco que governa atualmente com o apoio dos socialistas, vai reunir com os membros do seu executivo ao princípio da tarde, fazendo depois uma conferência de imprensa onde vai justificar a sua posição. A reunião do governo estava só prevista para amanhã, mas o lehendakari resolveu antecipá-la, para garantir o prazo de 54 dias necessário entre a convocação dos comícios e a votação.

O líder do governo basco tem defendido a realização das eleições o mais rapidamente possível, com os nacionalistas a argumentar que a pandemia está numa fase descendente, mas que os especialistas temem uma segunda vaga no outono, quando poderá coincidir com a época da gripe.

Na semana passada, Urkullu apresentou um plano para a realização das eleições em segurança, que passam por aumentar mais o voto por correio e até a abertura de mesas eleitorais em lares de idosos. A campanha, fora dos moldes normais, também só deve durar uma semana.

Também Feijóo, do Partido Popular, vai reunir hoje o seu governo e dar uma conferência de imprensa. Ao que tudo indica, irá também marcar as eleições autonómicas para a mesma data, 12 de julho, mas neste caso não há ainda confirmação oficial. A convocação das eleições tem que ser confirmada ainda hoje, para ser publicada amanhã no Diário Oficial da Galiza. Caso contrário, o escrutínio terá que ser no fim de semana seguinte.

Tanto Urkullu, lehendakari desde 2012, como Feijóo, presidente do governo galego desde 2009, são os favoritos à vitória.

Torra diz que não é hora de eleições

Já o presidente do governo catalão, Quim Torra, que em finais de janeiro tinha anunciado que iria antecipar as eleições na Catalunha (previstas inicialmente apenas em 2021), afasta agora essa possibilidade.

Num artigo publicado este domingo no La Vanguardia, Torra indicou que não é o momento de realizar essas eleições, alegando que estas iriam converter o que tem que ser um "momento de solidariedade" para lidar com o coronavírus, "numa competição descarnada entre partidos".

Em finais de janeiro Torra tinha dito que anunciaria a data das eleições após a aprovação do orçamento para a Catalunha.

A Catalunha registou 5944 mortes por covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG