'Os Maus Rapazes do Brexit' pode chegar ao grande ecrã

Estúdios de cinema estão interessados em adaptar livro que conta a campanha a favor do brexit levada a cabo por Nigel Farage. Ex-líder do UKIP poderá fazer participação

Três companhias de produção cinematográfica, incluindo a Netflix, estão interessadas em passar para o grande ecrã uma dramatização da campanha insurgente de Nigel Farage pelo brexit. A notícia foi avançada por um associado do antigo líder do UKIP.

Esta seria uma nova reviravolta extraordinária para Farage, que das franjas da política britânica conseguiu o seu objetivo de vida quando os britânicos votaram a favor da saída do Reino Unido da União Europeia, a 23 de junho do ano passado, e que desde então se tornou amigo do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump.

O projeto do filme seria baseado no livro Bad Boys of Brexit (Os Maus Rapazes do Brexit), um relato da campanha de Farage feito por Arron Banks, o multimilionário britânico que a financiou, segundo Andy Wigmore, um porta-voz de Banks.

"Temos três partes interessadas nos direitos do livro e iremos encontrar-nos com representantes dos três estúdios, incluindo um representante da Netflix, a 19 de janeiro, em Washington", adiantou Wigmore à Reuters através de uma mensagem escrita.

Farage, Banks, Wigmore e outras pessoas do seu círculo de relações vão viajar para a Washington para a tomada de posse de Trump como presidente dos Estados Unidos, no próximo dia 20, sexta-feira. "Nós convidámos todos [os representantes dos estúdios] para a nossa festa de pré-tomada de posse... Também convidámos muitos elementos da equipa de Trump para o evento", declarou Wigmore. A Netflix não respondeu a um pedido de comentário sobre este assunto.

O jornal Sunday Telegraph noticiou que o estúdio de Hollywood Warner Bros também estaria interessado, mas não era claro nas mensagens de Wigmore enviadas à Reuters se entre aqueles que o abordaram estavam os representantes da Warner Bros.

O subtítulo do livro de Arron Banks é Contos de Ofensas, Caos e Guerrilha na Campanha do Referendo da UE. É descrito no site da sua editora como sendo "um honesto, sem censura e altamente divertido diário da campanha que mudou o curso da história".

Questionado sobre se Farage poderá fazer de si mesmo em qualquer adaptação cinematográfica da sua campanha, Wigmore respondeu: "Sim, todos nós esperamos fazer uma aparição Quentin Tarantino", referindo-se aos cameo do realizador nos seus próprios filmes.

Apesar de ter entregado os destinos do partido eurocético UKIP ao seu sucessor em novembro passado, Nigel Farage, habitualmente fotografado com uma cerveja na mão, mantém-se como a figura mais proeminente do brexit aos olhos de muitos britânicos e raramente está desaparecido dos noticiários.

Nigel Farage discursou num comício de Donald Trump durante a campanha para as eleições presidenciais norte-americanas de 8 de novembro e visitou o presidente eleito na Trump Tower após a sua vitória. Uma fotografia dos dois homens, sorrindo abertamente à frente de um par de portas douradas, circulou por todo o mundo.

Mais tarde, Trump embaraçou o governo da primeira-ministra britânica, Theresa May, ao escrever no Twitter que muita gente gostaria de ver Farage representar o Reino Unido como embaixador nos Estados Unidos. Londres respondeu que não havia vaga.

Jornalista da Reuters

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG