Onda mata quatro adultos e menina de 7 anos na Córsega

Um grupo de praticantes de canyoning foi apanhado por uma onda num rio da ilha francesa. Morreram cinco pessoas, incluindo uma menina de sete anos e o seu pai.

Buscas retomadas na quinta-feira encontraram o corpo de uma jovem de 22 anos, vítima do acidente que aconteceu quando um grupo de 12 pessoas e um guia desceram um desfiladeiro em Soccia, no sul da Córsega.

Os primeiros elementos da investigação, informa a AFP, apontam para imprudência. A Córsega tinha sido colocada sob alerta amarelo na quarta-feira. Fortes chuvadas caíram nos últimos dias nas montanhas da Córsega e uma tempestade fez subir de súbito os níveis do Zoicu, um afluente do rio Guagno.

"A emoção é palpável, sentimos que as pessoas estão chocadas", disse à agência de notícias francesa o coronel Bruno Maestracci, chefe dos serviços de emergência da Córsega do Sul.

Os cinco mortos neste acidente são uma menina de 7 anos e o seu pai, o guia da empresa, de 36 anos, um homem de 26 anos e a jovem de 22 anos cujo corpo foi descoberto na quinta-feira.

A mãe da menina fez parte do grupo de 13 pessoas que participou no passeio de canyoning (atividade desportiva que consiste em descer a pé e ou a nado de linhas de água com elevado declive). A mãe, como outros cinco canyonistas, desistiu a certa altura, quando surgiram as primeiras dificuldades na descida do Zoicu. Deixou a filha continuar com o marido, o guia e mais quatro pessoas.

O Zoicu é o ribeiro que dá nome a esse desfiladeiro localizado 1000 metros acima do nível do mar, considerado um dos mais belos da ilha.

O grupo que continuou foi surpreendido por uma onda. "Esta onda, descrita como importante - com cerca de três metros - vai submergi-los e levá-los", acrescentou Maestracci.

O militar disse que os restantes voltaram para trás "devido às condições tempestuosas" e afirmou que iria investigar por que razão o grupo continuou quando outros decidiram desistir.

Corda salva pai e filho

Um guia que estava no grupo que tomou a decisão de abortar a descida viu que os outros estavam em dificuldades e atirou uma corda, ação que permitiu a duas das sete pessoas levadas pela enxurrada salvarem-se.

Segundo o procurador de Ajaccio, Eric Bouillard, as duas pessoas resgatadas são um homem de 40 anos e o filho de 16.

"Toda a Córsega está triste com esta tragédia", escreveu no Twitter Gilles Simeoni, presidente do conselho executivo da Córsega. "Córsega em dor: o rio matou em Soccia", também tuitou o presidente da Assembleia da Córsega, Jean-Guy Talamoni.

O ministro do Interior, Gerard Collomb, disse ter ficado "profundamente afetado" pelo acidente, tendo lembrado que todos os meios foram mobilizados para "prestar assistência e conforto" às vítimas.

Antes deste desastre, nos últimos dez anos morreram 21 pessoas e outra ficou ferida com gravidades em acidentes de canyoning em França.

Em 1999, um acidente semelhante matou 21 pessoas em Interlaken, na Suíça.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG