OMS diz que vírus deixou de ser "emergência de saúde pública"

A organização avisou no entanto que o vírus Zika continua a ser um problema extremamente importante a longo prazo

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou hoje que o vírus Zika, associado a graves anomalias cerebrais em recém-nascidos, deixou de ser uma "emergência de saúde pública" a nível mundial.

"O vírus Zika continua a ser um problema extremamente importante a longo prazo (...), mas já não é uma emergência de saúde pública de alcance mundial", declarou o presidente do comité de urgência da OMS sobre o Zika, durante uma conferência de imprensa virtual.

A declaração de emergência sobre o vírus estava em vigor há nove meses e a organização vai agora apontar para uma abordagem a longo-prazo no combate ao Zika.

Cerca de 30 países relataram casos de bebés nascidos com malformações relacionados com o vírus Zika.

Só no Brasil, foram registadas mais de 2.100 malformações do sistema nervoso.

O Zika é disseminado principalmente por picada de mosquito, mas o contágio também pode ocorrer através de relações sexuais. Para a maioria dos infetados, os sintomas são febre, urticárias e dores nas articulações.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.