Oito pessoas assistidas e um animal morto em incêndio no Zoo de Londres

Pelo menos um animal morreu e oito pessoas tiveram de ser assistidas por inalação de fumo na sequência de um incêndio que atingiu hoje de manhã o Jardim Zoológico de Londres

Mais de 70 bombeiros estiveram envolvidos no combate ao fogo, que levou três horas para controlar.

As causas do incêndio que atingiu o zoo, localizado na zona central de Regent's Park, ainda são desconhecidas.

Algumas das pessoas assistidas, todos funcionários do zoo da capital britânica, também apresentavam sinais de estado de choque.

O animal que morreu é um porco formigueiro. Quatro suricatas estão dadas como desaparecidas na sequência do incêndio que afetou o café e a loja do zoológico londrino.

"Cerca de metade do café e da loja do zoo, que também têm uma área com animais, está destruída agora", disse um porta-voz da brigada anti-incêndios de Londres.

As instalações do zoo foram encerradas por causa do fogo e vão permanecer fechadas até estar concluída a investigação do incidente.

"O zoo vai continuar fechado até novo aviso e vamos trabalhar em estreita colaboração com os investigadores para determinar as causas do incidente", acrescentou a mesma fonte.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.