Obama abre investigação à pirataria informática russa durante a campanha eleitoral

Decisão surge numa altura em que o Congresso norte-americano aumenta pressão para que o público seja informado sobre as ações de Moscovo durante o processo eleitoral

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ordenou uma "investigação total" aos casos de pirataria informática com origem na Rússia que ocorreram durante a campanha eleitoral para as eleições presidenciais de novembro.

A notícia é esta sexta-feira avançada pelos jornais Washington Post e The New York Times.

"Podemos ter entrado numa nova realidade e cabe-nos ter consciência disso, avaliar, tomar medidas, compreender o que aconteceu e retirar daí elações", afirmou a assessora para segurança interna da Casa Branca, Lisa Monco.

Segundo esta fonte, citada pelos media americanos, Barack Obama quer ver este processo terminado antes de deixar o cargo, no dia 20 de janeiro.

Alvo especial da investigação será o ataque informático aos computadores do Comité Nacional Democrata e a importantes indivíduos deste partido, como John Podesta, o diretor de campanha de Hillary Clinton, escreve o The New York Times.

A decisão surge também num contexto de pressões crescentes da parte do próprio Congresso norte-americano no sentido de ser tornado público que ações Moscovo empreendeu durante o processo eleitoral.

O The New York Times escreve, no entanto, que é impossível garantir que os resultados da investigação sejam tornados públicos. Tanto os serviços de informações como o FBI - que já investiga o caso - têm-se mostrado relutantes em revelar detalhes.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG