O sorriso traquina de Jon Stewart para irritar o senador

Antigo apresentador de TV olhou para senador republicano Mitch McConnell, que acusa de ter travado lei de apoio às vítimas do 11 de Setembro, com expressão que antecipou a aprovação da extensão do fundo de compensação pelo Senado.

De t-shirt azul, calças de ganga e um sorriso quase traquina, Jon Stewart olha para o fotógrafo no momento em que passa por ele o senador republicano Mitch McConnell, à entrada do Capitólio. É a foto que acaba por retratar a vitória de quem veria, horas depois, o Senado dos Estados Unidos aprovar a extensão do Fundo de Compensações das Vítimas do 11 de Setembro, que os republicanos estavam a travar nas duas câmaras legislativas do país.

Antigo apresentador do programa de televisão The Daily Show, Jon Stewart é hoje um empenhado defensor dos direitos das vítimas dos atentados que atingiram a América em 11 de setembro de 2001, tendo feito um desesperado e emotivo discurso a apelar aos representantes e senadores para aprovarem a extensão do apoio aos "first responders", aqueles que responderam às primeiras chamadas nos atentados do World Trade Center.

Depois de a Câmara dos Representantes ter votado a favor, agora foi a vez de o Senado aprovar a HR 1327, por 97 votos a favor e apenas dois votos contra, prolongando o pagamento dos custos médicos aos sobreviventes que ficaram feridos na resposta aos ataques, entre polícias, bombeiros, militares e voluntários até 2090 (e não... 2020), como explicou a BBC.

O fotógrafo Bill Clark, que registou o momento e o partilhou na sua conta do Twitter, garantiu à Newsweek que Stewart sorriu diretamente para McConnell, quando ele passava, mas não conseguiu dizer qual terá sido a reação do senador. "Tudo o que vi foi o senador de costas quando passou. Tenho a certeza de que McConnell viu Stewart, mas não o ouvi dizer nada ou reagir de alguma forma."

O senador, que é o líder da maioria da câmara alta do país, foi um dos principais alvos de Stewart, na sua campanha pela aprovação desta lei, tendo este criticado McConnell por não ter dado prioridade ao projeto de lei por diversas vezes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG