O milionário chinês que leva 2500 empregados de férias

O patrão do grupo Tiens é uma das 30 maiores fortunas da China e premeia os funcionários com férias: 2500 pessoas começaram a chegar ontem a Espanha. Foram fretados 20 aviões e reservados 1650 quartos. A fatura são sete milhões de euros

O norte-americano Dan Price foi considerado o melhor patrão do mundo depois de aumentar o salário mínimo dos trabalhadores para 4 mil euros. Mas tem um milionário chinês a morder-lhe os calcanhares. O fundador do grupo Tiens, Li Jinyuan, vai desembolsar 7 milhões de euros para levar 2500 funcionários da sua empresa de férias a Espanha.

Os turistas chineses começaram a chegar ontem e ficam até 10 de maio. Vão conhecer Madrid, Toledo e Barcelona, assistir a um espetáculo taurino e ver lojas. Estes são os números: 20 voos fretados, 4 comboios de alta velocidade cheios, 70 autocarros alugados e 1650 reservas em hotéis.

Touros e compras

O grupo divide a estada entre Madrid e Barcelona. Fica na capital até domingo e nesse mesmo dia parte para a Cidade Condal, onde fica até 10 de maio.

Para amanhã de manhã está previsto um espetáculo taurino em Moralzarzal. Mas, sem bandarilhas nem touros de morte, de acordo com um comunicado da própria empresa em que também afiançam que o milionário Li Jinyuan "não poupou em gastos". Em Espanha, serão 7 milhões de euros.

Os cerca de 2500 empregados do grupo Tiens vão visitar o Palácio Real, em Madrid, a Sagrada Família, em Barcelona, e a cidade de Toledo, património da Humanidade desde 1986, e conhecida pelo seu mosteiro de San Juan de los Reyes, a sua catedral e por ter sido aí que viveu El Greco.

Também estão previstas idas às compras. Com um tão numeroso grupo de pessoas serão encerrados por algumas horas o grande armazém El Corte Inglés, em Madrid, e o centro comercial La Roca Village, em Barcelona.

Foram feitas 1650 reservas de hotéis

Dono de um conglomerado que se dedica ao ramo da biotecnologia, logística, finanças, retalho e turismo, o multimilionário que fundou a Tiens em 1995 é hoje um dos 30 homens mais ricos da China. A empresa está em 190 países e a fortuna pessoal de Li Jinyuan está nos 5 mil milhões de euros, segundo a Lista Hurun.

O magnata tem por hábito oferecer férias aos funcionários, assinalando o aniversário da companhia. Desta vez, comemoram também os 42 anos de relações diplomáticas entre a China e Espanha. Há um ano, Li Jinyuan abriu os cordões à bolsa e, por 13 milhões de euros, levou 6700 funcionários da empresa a França. Antes, estiveram em Moscovo, onde foram recebidos por Mikhail Gorbachev. Na África do Sul foram recebidos por um neto de Nelson Mandela, no Vietname pelo vice-presidente do país. Em Madrid foi a presidente da câmara, Manuela Carmena, a fazer as honras da casa. Recebeu os primeiros turistas ontem, ao meio-dia. As últimas 300 pessoas só aterram hoje em Madrid.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.