Novo vídeo mostra suspeito de terrorismo a ser baleado

Canal francês revelou imagens nas quais se vê um dos suspeitos ser alvejado ao tentar fugir. Veja o vídeo

A operação antiterrorista de sexta-feira culminou com a detenção de um dos homens mais procurados na Europa. Salah Abdeslam estava em fuga desde os atentados de Paris, a 13 de novembro, e foi capturado no bairro de Molenbeek em Bruxelas.

O canal francês iTélé divulgou novas imagens, nas quais se vê um dos suspeitos detidos na operação a ser alvejado quando tentou fugir das autoridades.

Abdeslam já confessou que devia ter-se feito explodir no Stade de France e, segundo o seu advogado, tem estado a colaborar com os investigadores. Sven Mary salientou mesmo que a sua ajuda "vale ouro". "Penso que Salah Abdeslam é muito importante para esta investigação. Ele está a colaborar. Ele está a comunicar. Não está a respeitar o direito que tem em se manter em silêncio", salientou, citado pela Sky News.

O presidente francês François Hollande anunciou logo na sexta-feira que tinha pedido a extradição de Abdeslam. No entanto, o advogado já alertou que o francês de 26 anos vai opor-se à extradição.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.