Nova Iorque acorda com lápide de Trump no 'Central Park'

Autor da partida escreveu mesmo epitáfio do magnata que quer ser candidato dos republicanos: "Fez a América odiar outra vez"

Nova Iorque acordou, no domingo de Páscoa, com uma novidade no célebre 'Central Park', conhecido como o pulmão da cidade norte-americana. Entre a vegetação, erguia-se uma lápide de Donald Trump, o magnata que está na corrida para ser o candidato dos republicanos nas próximas eleições presidenciais.

O epitáfio dizia apenas "Fez a América odiar outra vez" e, apesar de se tratar de um monumento fúnebre, na lápide estava inscrita apenas a data de nascimento de Trump, sem qualquer referência ao ano da morte.

Nas redes sociais, os nova-iorquinos não perderam tempo a partilhar imagens da lápide de Trump, que acabou por ser retirada do local ao final do dia. Já o responsável pela partida, permanece desconhecido.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.