Ninguém vai subir ao topo da montanha mais alta do mundo este ano

A última tentativa viável, antes de a época terminar, foi abandonada em outubro

Pela primeira vez desde 1974, este ano nenhum alpinista vai subir ao topo da montanha mais alta do mundo, o Evereste, no Nepal. Há 41 anos que o teto do mundo não ficava sem visitas, mas a explicação é simples: o trágico terremoto que afetou o Nepal em abril impediu a subida na primavera e fez muitas baixas entre os guias sherpas.

Em 2013 o Nepal registou um número recorde de subidas: 658, segundo o jornal El País. Mas a morte de 16 sherpas numa avalanche marcou o ano seguinte e o país chegou mesmo a baixar o preço da licença para subir à montanha, de 25 mil para 11 mil dólares, numa tentativa de revitalizar as subidas.

No entanto, sobretudo devido ao sismo de abril, este ano vai terminar sem que ninguém consiga completar a ascensão. A última tentativa viável, antes de a época terminar, foi abandonada em outubro, por parte do japonês Nobukazu Kuriki.

Mais de quatro mil pessoas subiram ao topo do Everest desde que a montanha foi escalada pela primeira vez, pelo neo-zelândes Edmund Hillary e pelo sherpa Tenzing Norgay, em 1953.

Exclusivos