"Não acredito que o Partido dos Piratas vença as eleições"

Helgi Daníelsson, ex-jogador do Belenenses e da seleção nacional islandesa, é licenciado em Química, vive em Lisboa e trabalha no Observatório Europeu da Droga

Como definiria os islandeses?

Somos um povo muito trabalhador, resiliente e criativo. Regra geral, as pessoas são felizes. A qualidade de vida é boa.

Encontra semelhanças entre os islandeses e os portugueses?

É difícil responder. São culturas muito diferentes.

Nasceu na Suécia e mudou-se para a Islândia com três anos. Cresceu em Reiquiavique?

Todo a minha família é islandesa. Só nos mudámos para a Suécia durante alguns anos, quando o meu pai estava na universidade. Não cresci em Reiquiavique, mas sim numa pequena cidade. Só aos 12 anos é que fui para a capital.

Que cidade é Reiquiavique?

A Islândia é um país pequeno e Reiquiavique não tem os grandes edifícios nem a história de outras capitais europeias, mas é uma cidade cheia de vida. Tem muitos jovens e uma grande oferta cultural. É um bom local para se viver.

Há alguns mitos sobre a Islândia. É verdade que a maioria acredita em elfos?

Em muitos inquéritos as pessoas respondem que sim, mas julgo que o fazem mais por graça do que por crença. Na nossa tradição temos velhas histórias sobre elfos e há muitos que se sentem mais islandeses ao dizerem que acreditam, mas, regra geral, não creio que seja verdade.

À distância, a partir de Portugal, como tem visto a possibilidade de o Partido dos Piratas vencer as eleições legislativas de amanhã?

Não acredito que vão vencer. Têm vindo a cair nas sondagens e as pessoas têm estado a passar para o Partido da Independência, o que para mim é estranho, uma vez que muitos dos políticos estiveram envolvidos em escândalos de corrupção. Parece que as pessoas se esquecem depressa. Estou um pouco preocupado, mas quatro partidos de esquerda e de centro-esquerda têm vindo a falar de uma possível coligação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG