Mulheres com burqa poderão ser multadas até 9 mil euros

No cantão de Ticino o parlamento aprovou na segunda-feira a lei que proíbe o uso do véu

Uma mulher que use burqa no cantão de Ticino, no sul da Suíça, poderá ser multada, de acordo com uma lei aprovada esta segunda-feira pelo parlamento local.

Após referendo realizado em setembro de 2013, em que dois em cada três eleitores aprovou a proibição, o parlamento do cantão pôs um ponto final no assunto, impondo multas que vão dos 100 francos suíços (92 euros) aos 10 mil (9.200 euros).

O governo de Ticino queria também banir outras formas de cobrir a cara, nomeadamente as usadas pelos adeptos de futebol ou manifestantes. No entanto, o parlamento recusou juntar tudo na mesma lei, para evitar colocar ao mesmo nível as mulheres com véu, os hooligans e os que participam em protestos. Segundo o parlamento, esta lei, em nove artigos, visa promover a integração e a interação social.

Os turistas não terão uma lei excecional. As mulheres que visitarem o cantão suíço não poderão usar burqa nas lojas, restaurantes e edifícios públicos.

A lei adotada em Ticino inspira-se na francesa, que entrou em vigor em abril de 2011.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG