Morreu a mulher mais pesada do mundo

Mulher egípcia chegou a pesar meia tonelada

Morreu esta segunda-feira a mulher que ficou conhecida por ser a mais pesada do mundo. Na sua fase mais crítica, Eman Abdul Atti chegou a pesar 500 quilos. A egípcia morreu aos 37 anos, em Abu Dabi, devido a complicações cardíacas e disfunção renal, segundo um comunicado do hospital.

Eman estava internada desde abril e era acompanhada por uma equipa de 20 médicos especialistas, segundo o jornal australiano News. Ela começou a fazer progressos e em junho deste ano os médicos anunciaram que Eman já se conseguia sentar sozinha e falar.

Há dois anos, a egípcia sofreu um coágulo cerebral que tinha afetado a capacidade de falar e de andar.

Antes do internamento, a mulher não saía de casa há 25 anos. Os familiares contaram que Eman sempre foi uma criança com excesso de peso, com dificuldades em andar, e que por isso nunca foi à escola. Aos 12 anos, Eman sofreu uma infeção parasitária que fez com os "os membros e os corpos inchassem", deixando-a acamada.

A irmã Chaymaa disse que a família pediu ajuda aos hospitais locais, mas nunca obteve resposta. Eman passava os dias em casa com a irmã e a mãe, que cuidavam dela.

Os médicos do hospital Burjeel, em Abu Dabi, explicaram que Eman tinha um problema de retenção de líquidos, que fazia com que o corpo absorvesse grandes quantidades de água.

Em comunicado, o hospital assegurou que a paciente estava a ser submetida a um tratamento intensivo, salientando que o seu estado de saúde até tinha melhorado.

"Mas rendeu-se à luta contra a obesidade e hoje de madrugada morreu", é referido numa nota do hospital na qual são dadas as condolências à família.

O caso de Eman foi notícia em vários jornais internacionais e várias pessoas acompanhavam a evolução da mulher egípcia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG