Mortes pelo sismo no México sobem para 119

Vários edifícios colapsaram

As autoridades mexicanas elevaram para 119 o número de mortos na sequência do sismo que de 7,1 na escala de Richter que atingiu vários Estados do México esta terça-feira.

Um balanço preliminar das autoridades estatais, que davam ainda conta de 92 mortos, afirmava 54 mortes ocorreram no estado de Morelos, 26 em Puebla, oito no Estado do México e quatro na capital. Estes numeros foram entretanto revistos em alta.

O Presidente do México. que ativou o plano de emergência do país, afirmou que pelo 27 edifícios colapsaram total ou parcialmente.

Na rede social Twitter, Enrique Peña Nieto disse ainda que convocou o Comité Nacional de Emergências, para coordenar todas as ações de ajuda, e que todos os hospitais que ficaram danificados com o sismo estão a ser evacuados.

O "PlanMX" permite que as autoridades acelerem a resposta de emergência em situações de maior gravidade.

As estações televisivas mexicanas estão a mostrar imagens de vários edifícios que colapsaram, com o presidente da autarquia da Cidade do México, Miguel Angel Mancera, a afirmar que existe a confirmação de pessoas que ficaram presas no interior dos edifícios que colapsaram.

O sismo 7,1 na escala de Richter teve o seu epicentro a 12 quilómetros a sudeste de Axochiapan, no estado central de Morelos, a uma profundidade de 57 quilómetros.

Este sismo acontece no dia em que se completaram 32 anos desde que um poderoso terramoto deixou milhares de mortes na Cidade do México.

Exclusivos

Premium

Livro

Antes delas... ninguém: mulheres que desafiaram o domínio masculino

As Primeiras - Pioneiras Portuguesas num Mundo de Homens é o livro com as biografias de 59 mulheres que se atreveram a entrar nas profissões só de homens. O DN desvenda-lhe aqui oito dessas histórias, da barrista Rosa Ramalho à calceteira Lurdes Baptista ou às 'Seis Marias' enfermeiras-paraqueditas, entre outras