Mergulhadores australianos negociaram imunidade diplomática antes do salvamento

Os dois australianos que participaram no salvamento dos 12 rapazes na Tailândia vão ser homenageados no seu país

Os dois mergulhadores australianos que integraram a equipa de salvamento dos 12 rapazes da gruta de Tham Luang na Tailândia tinham imunidade diplomática.

A imunidade diplomática foi-lhes concedida após negociações entre os governos australiano e tailandês e antes do salvamento para que, no caso de algo correr mal na operação, os mergulhadores não pudessem ser acusados de qualquer crime.

"Sabíamos que havia riscos envolvidos nesta missão, então houve um entendimento entre o governo tailandês e o governo australiano", confirmou à Reuters o ministro dos Negócios Estrangeiros da Austrália, Don Premudwinai.

O anestesista Richard Harris e o veterinário Craig Challen, os dois mergulhadores australianos, vão receber honras civis, informou o primeiro-ministro da Austrália Malcolm Turnball. "Foi um dos mais extraordinários atos de heroísmo, profissionalismo, disciplina e trabalho de equipa", disse Turnball.

Ainda não se sabe qual será o grau honorífico que lhes será atribuído, mas quase 45 mil pessoas assinaram uma petição online pedindo que fosse a Cross of Valour, a mais prestigiada distinção de bravura.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.