Menino sírio afogado é homenageado em presépio espanhol

Para padre de San Antón, a imagem do corpo de Aylan numa praia da Turquia é a que melhor representa o drama dos refugiados

Uma igreja em Madrid utilizou o presépio para simultaneamente prestar uma homenagem e alertar para a questão dos refugiados que todos os dias chegam à Europa. Em San Antón, dois refugiados substituíram as tradicionais figuras de José e Maria e o menino escolhido foi Aylan, a criança de três cujo corpo deu à costa numa praia na Turquia.

A fotografia do corpo de Aylan, que morreu afogado quando, juntamente com a família, tentava fugir da guerra na Síria, tornou-se numa das imagens do drama que vivem milhares de pessoas.

Para o padre Ángel, que teve a ideia de elaborar o diferente presépio, a fotografia "é a mais representativa para consciencializar as pessoas para o drama que vivem os refugiados". Por isso, o posicionamento do menino representa exatamente como foi descoberto o corpo de Aylan.

O autor do presépio, Ikella Alonso, explicou, citado pelo El País, que utilizou "plasticina porque é um material macio que reflete a fragilidade das pessoas que fogem da sua terra". Alonso demorou um mês a criar este presépio e disse que cobrou uma quantia simbólica pelo seu trabalho.

Aylan está deitado num mapa sobre o Mediterrâneo e as figuras têm uma uma lona como cobertura que simboliza as tendas que os migrantes têm utilizado nos campos onde aguardam por autorização das autoridades, depois de chegar à Europa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG